O efeito da cadência na sensação de esforço

Desde que fiz a transição para um estilo barefoot, há pouco mais de um ano, correr realmente virou algo muito mais “fácil”: dores articulares praticamente desapareceram e nenhuma lesão surgiu, em nenhuma parte do corpo.

Mas eu nunca tinha, de fato, me atentado para o efeito da cadência na redução do cansaço em treinos e provas longas.

Uma das “regras” para se correr no estilo barefoot, por assim dizer, é buscar tocar o solo sempre com o peito do pé e jamais com o calcanhar, o que gera uma espécie de propulsão natural do corpo. Para fazer isso, é necessário tocar o solo com o pé de forma alinhada ao tronco – o que também significa diminuir o tamanho das passadas.

100127134241

Essa diminuição no tamanho das passadas, por sua vez, é naturalmente compensada pelo aumento na cadência – ou seja, na quantidade de passos dados por minuto.

Traduzindo: para manter-se correndo a uma velocidade interessante, basta apenas ampliar a quantidade de passos por minuto ao invés de ampliar a largura de cada passo.

E isso ajuda em um ponto lógico, mas que costuma ser pouco comentado: ao diminuir o tamanho de cada passada, você também minimiza o impacto delas no próprio corpo. Passadas menores, afinal, erguem-se menos em relação ao solo, diminuindo o efeito da gravidade ao tocar nele. Tudo de forma natural, suave.

Fiquei pensando nisso durante o longão de hoje, de 28K, na região da USP: buscando ficar próximo aos 180 passos por minuto (considerado ideal para a manutenção de uma forma perfeita), acabei cansando menos e chegando ainda com gás para rodar alguns Kms. Isso, aliás, tem sido uma constante nos longões, mostrando que o corpo está fazendo o seu trabalho de adaptação ao estilo de treinamentos que tenho aplicado.

Mas, desde que me dei conta disso, passei a ficar especialmente atento. Quando me sinto mais cansado, com mais dores na região dos pés ou tornozelo, corrijo a forma diminuindo a largura das passadas e ampliando a quantidade de passos por minuto. O efeito é imediato, incluindo a manutenção (ou mesmo aumento) de velocidade com uma redução significativa na sensação de esforço.

E, convenhamos, diminuir o cansaço sistemicamente para uma prova como Comrades é algo no mínimo importante!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s