Fechando o percurso pela Baía de Todos os Santos

Depois de uma noite no Carnaval, a manhã acordou com água para todos os lados em Salvador. Chuva torrencial descia do céu, formando poças que se agitavam a cada passada e recebendo banhos gerados por carros e ônibus nas ruas.

Ainda assim, correr do Caminho das Árvores até o Campo Grande, fazendo o percurso dos trios e passando pelo Farol e belíssima Ladeira da Barra – um excelente treino de subida – foi magnífico.

No total, foram 16Km pela Amaralina, Rio Vermelho, Ondina, Barra, Corredor da Vitória, Campo Grande. Sempre margeados pelo mar e chegando na mais linda de todas as baías, a de Todos os Santos.

Às vezes, uma corrida assim, por um lugar tão mágico quanto Salvador, é fundamental para nos reentendermos de verdade.

Principalmente quando cruzamos a “linha de chegada” e podemos mergulhar nos braços de Yemanjá, fazendo parte do cartão postal.

Hoje, sigo de volta para Sampa levando a habitual saudade de Salvador que sempre me acompanha – mas com uma consciência maior sobre o quão fundamental é cada passo dado nessa jornada de autoconhecimento que é a corrida.

20140304-151042.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s