Comparando as planilhas de Two Oceans e Comrades

Enquanto esperava no aeroporto para um vôo que atrasava, decidi levantar algumas estatísticas comparando meu treinamento para a Two Oceans (56km, que fiz em março de 2013) versus este, para Comrades (89km, em junho/ 2014). Confesso que não me lembrava direito do processo entre janeiro e março de 2013, mas a comparação foi no mínimo interessante:

  • Para a Two Oceans, os treinos durante a semana eram principalmente curtos, de menos de uma hora, priorizando tiros e intervalados. Foram poucas as semanas em que realmente passava períodos mais longos entre segunda e quarta – diferente de agora, que praticamente não tenho nada com menos de uma hora em nenhum dia.
  • Fiz muitos back to backs em 2013, destacando as semanas de pico (que consideravam coisas como 3h30 em um sábado e 2h30 no domingo). Lembro muito do cansaço nesse período, aliás: cheguei na Africa do Sul com a sensação de que, se o treinamento levasse uma semana a mais, acabaria me lesionando. Agora, tenho alguns back to backs – mas em menor intensidade. O mais longo tem 3h10 no sábado e 1h40 no domingo e os demais acontecem apenas quando os longões de sábado ficarem abaixo das 3h. Fora isso, os treinos de domingo tem, em média, entre 1h00 e 1h30.
  • O pico, de três semanas entre fevereiro em março de 2013, teve a seguinte rotina (sábado x domingo): 3h26 x 2h33 (sem 1), 4h38 x 1h14 (sem 2) e 3h35 x 1h18 (sem 3). A partir daí, entrou o tapering. Para Comrades, os picos são mais longos por conta do estilo do treinamento: 3h55 x 1h00 (sem 1), 2h40 x 1h40 (sem 2), 4h10 x 1h20 (sem 3), 3h10 x 0h00 (sem 4), 4h10 x 0h00 (sem 5), 6h20 x 0h00 (sem 6), 3h10 x 1h40 (sem 7), 3h55 x 1h00 (sem 8), 3h10 x 1h40 (sem 9). Ou seja: há 9 semanas de pico, permitindo uma aclimatação maior na intensidade, mas com menos dobradinhas para permitir tempo para a recuperação.
  • A semana com maior carga horária no processo da Two Oceans foi de 9h02. Agora, é de 10h10. Mais, mas nada tão assassino.
  • O pace médio ficou entre 6:00 e 6:15 min/km em Two Oceans, com o dia de treino mais longo em 7:38 min/km.  Agora, o pace médio está na casa dos 5:50 min/km, muito embora não tenha praticamente nenhum intervalado ou tiro (e apenas tempo runs que foram cortadas daqui para a frente, quando entro na fase de pico).

Ao comparar a planilha que montei para Comrades com a Bill Rowan no site oficial da prova, as diferenças do que estou fazendo não estão tão intensas. Há, lá, muitas dobradinhas de 3h00x2h00 – mas a volumetria em si está bem parecida. Minha semana de maior pico é inclusive (levemente) mais longa que a recomendada no site.

Como a minha meta está entre a Bronze e a Bill Rowan, isso dá uma certa tranquilidade.

Talvez o ideal não seja comparar a Two Oceans com a Comrades – afinal, apesar de ambas serem ultras, as distâncias são bem diferentes (56km x 89km). Mas, como são as minhas únicas experiências acima dos 42km, é só o que tenho para trabalhar. E a conclusão geral foi que a principal diferença está na distribuição da intensidade: ao invés de forçar um pico mais súbito, agora estou dando mais tempo ao tempo e preparando o corpo melhor.

Realmente acredito que seja uma estratégia melhor – mas, se vai funcionar, não sei ainda. Espero que sim – e aguardo ansiosamente os próximos capítulos dirão!

Screen Shot 2014-03-17 at 8.00.55 AM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s