Segunda carta de Nato Amaral aos corredores brasileiros na Comrades

No mês passado, divulgamos aqui no blog uma carta do Nato Amaral, enquato embaixador de Comrades, aos corredores brasileiros. Ele me mandou uma nova carta agora que também foi encaminhada via email na newsletter oficial da prova para todos mas, como muitos podem não ter recebido, estou repostando aqui.

 

Olá Comrades do Brasil!

Este é o mais longo e importante email que envio a vocês. Recomendo que vocês não apenas leiam mas também imprimam, pois tenho vários recados e dicas muito úteis.

Foram meses de treinamento, muita dedicação, treinos longos, subidas sem fim, bolhas, dores e a sensação de que todos nós estamos muito bem preparados. E de fato estamos!

Faltam poucos dias para nosso grande desafio, hora de colocar em prática tudo o que treinamos e, principalmente, tudo o que sonhamos! É hora de materializar, transformando um grande sonho em uma realidade que mudará nossas vidas para sempre.

Planeje a viagem, relacionem o que precisa levar para a prova, pensem em cada detalhe de sua logística. Não é hora de fazer testes. O treino duro já acabou. Agora é só polimento e cuidado redobrado com a alimentação e, principalmente, com o seu sistema imunológico.

A prova começa no dia que você pousar em Durban. Ao desembarcar, respire fundo e tenha a certeza que você está na terra da Ultramaratona e que escreverá mais uma página da história da Rainha das Ultras. Abaixo vários recados e dicas:

PASSAPORTE: confirme se o seu passaporte possui prazo de validade superior a 6 meses contados da data de embarque. Caso a validade de seu passaporte seja de um prazo inferior (por exemplo, setembro ou outubro deste ano), não se desespere. Apenas recomendo confirmar com a sua agência ou mesmo com a companhia aérea se não haverá problema no embarque. E digo isso apenas como precaução, pois alguns anos atrás tivemos um colega que não pôde embarcar por esse motivo. E, caso descubra que isso pode ser um problema, ainda da tempo de correr até a Polícia Federal e emitir um novo em caráter de urgência (no mesmo dia);

VACINAÇÃO CONTRA A FEBRE AMARELA: certamente você já tomou a sua vacina; porém, lembre-se que você deverá apresentar o certificado internacional, emitido pela Anvisa. Caso você não possua, basta se dirigir a um posto da Anvisa que a emissão é feita na hora. Para quem mora em São Paulo, em Congonhas tem um posto onde é feita a emissão. Outro cuidado importante: se o seu certificado, emitido pela Anvisa, fizer menção ao seu passaporte anterior (e não o atual), por precaução, leve os dois passaportes (o atual, dentro da validade; e o anterior, citado no certificado). No aeroporto, caso você tenha tempo, poderá atualizar o seu certificado, deixando-o com a citação do seu número de passaporte atual (a não ser que informem que esse cuidado não se faz necessário). Tanto no caso do passaporte como da carteira de vacinação, meu objetivo não é provocar qualquer tipo de pânico. Muito pelo contrário, meu desejo é que você tome todas as precauções para não ser surpreendido por qualquer “imprevisto”. É melhor prevenir do que remediar. E espero que você embarque com toda a tranquilidade que merece para fazer uma excelente viagem a esta terra mágica chamada África do Sul;

CÂMBIO: há algumas opções para o câmbio de Dólar (ou Euro) para o Rand (ZAR). Nos aeroportos e hotéis, as cotações não são as melhores e, se for preciso recorrer a esses locais, troque o mínimo necessário (entre trocar no aeroporto ou no hotel, recomendo o primeiro). As melhores tarifas normalmente são encontradas na cidade nas unidades Thomas Cook (casas de câmbio) ou nos bancos ABSA e FNB (First National Bank), mas note que o horário bancário é diferente do nosso (eles fecham um pouco mais cedo e, se não me engano, abrem aos sábados). Recomendo que você faça as suas projeções e, preferencialmente, faça uma única troca, pois se você fracionar a sua troca poderá ”perder” dinheiro ao ter que pagar tarifas em duplicidade (há locais que cobram só a comissão; outros cobram também uma taxa fixa). Por exemplo, se o seu plano é trocar US$ 600 e administrar o restante com um eventual uso do cartão de crédito, é melhor trocar os US$ 600 de uma só vez do que, por exemplo, fazer duas trocas de US$ 300. Além disso, se eventualmente você fizer a troca em algum banco que cobre uma taxa fixa, é melhor você juntar 2 ou 3 amigos (ou mais), por exemplo, e fazer todos uma troca só, em um passaporte (cada troca fica registrada em um passaporte). Como os valores normalmente não são elevados, não há problema algum em fazer este tipo de operação e, com isso, ter mais eficiência ao comprar Rand;

CELULAR E SMARTPHONE: para se comunicar por lá e ficar conectado na Internet a preços muito atrativos, recomendo comprar um chip (em inglês, o termo é SIM Card). Há ótimas operadoras de telefonia: MTN, Vodacom e Cell C, por exemplo. Eu estive na Two Oceans em abril, pesquisei um pouco e encontrei uma excelente opção na MTN. Na loja do próprio aeroporto eu comprei um SIM Card pré-pago “ao gosto do freguês”, ou seja, você mesmo monta na hora quanto deseja adquirir de crédito para: (1) Voz, (2) Dados/Internet e (3) SMS. E sem grande burocracia você passa a ter um número de celular local e está plugado com o mundo. Então eu comprei alguns minutos de voz (caso precise, por exemplo, ligar para um amigo, para o hotel ou para reservar algum restaurante); comprei uma boa quantidade de Megabytes para usar o WhatsApp, navegar pelo Facebook ou acessar emails; e por fim adquiri também uma certa quantidade de SMS para eu me comunicar com vários amigos que tenho por lá. Tudo isso a um preço incrivelmente baixo. Vale a pena! Na própria MTN, a vendedora instalou o chip em meu iPhone, carregou os créditos e me orientou como verificar o saldo a qualquer momento. E, se durante a viagem, você notar que vai ficar sem algum dos créditos (seja ele voz, dados ou SMS), você compra um voucher somente daquilo que precisar e carrega novamente em sua conta. Com a aquisição do SIM Card, além da comunicação entre nós brasileiros na África do Sul, com torpedos locais a preços insignificantes, há um outro benefício em ter um número local: você poderá enviar um SMS para um número específico (no ano passado, esse número era 38132), que estará divulgado na Expo e na Revista da Comrades. Ao enviar o número de inscrição de um atleta para este SMS, toda vez que o mesmo passar por um dos tapetes da prova, será enviada uma mensagem para este celular. E você pode cadastrar quantos atletas desejar. O serviço é gratuito! Com isso, o acompanhante poderá acompanhar em tempo real cada passagem dos atletas que desejar, em todos os tapetes do percurso e também no tapete da chegada. Obs.: em qualquer caso, você terá que levar um aparelho com previsão para SIM Card e o aparelho deverá estar desbloqueado;

PALESTRA DO BRUCE FORDYCE, “Comrades King”: como eu divulguei anteriormente, neste ano, em virtude de minha participação no Unogwaja Challenge, não será possível realizar a palestra do Rei da Comrades para nós brasileiros. Peço desculpas por não poder atendê-los em algo tão especial que vínhamos fazendo nos últimos anos. Provavelmente todos sabem que ele é o maior vencedor da Comrades, com 9 vitórias na década de 80, sendo 8 delas de forma consecutiva. Mesmo sem conseguir viabilizar a palestra, aproveito para divulgar a sensacional homenagem desse atleta que demonstra que, de fato, é um verdadeiro campeão:

EXPO: a feira funciona de quinta a sábado (a abertura é às 9h00 e fecha na quinta e na sexta às 19h00 e no sábado às 17h00). Recomendo que você vá na quinta, pois a feira fica bem vazia e você terá tranquilidade para conhecer os stands e fazer as suas compras. Na sexta, o movimento já aumenta bastante, ao passo que no sábado é uma multidão e alguns dos produtos já poderão estar esgotados, principalmente na loja oficial. Assuntos relacionados à Expo:

CHIP, KIT E ÔNIBUS: leve o seu ChampionChip (se possuir) para validá-lo ao retirar o seu kit ou compre um no stand exclusivo da marca (para quem for correr pela primeira vez, tem que comprar o chip antes de fazer a retirada do kit). Retire o seu kit na área exclusiva destinada aos estrangeiros (normalmente, fica no fundo da Expo, do lado direito). E, se você for dormir em Durban na véspera da prova, compre o seu bilhete de ônibus, no stand Maharaj Coaches, caso o seu pacote de viagem não inclua o transfer. É esta empresa que levará você, por volta de 3h00 ou 3h30, de Durban para Pietermaritzburg. Lá você também se informa sobre o transporte dos acompanhantes (normalmente, esse ônibus saem da rua que fica atrás do Southern Sun Garden Court Marine Parade, mas se informem por lá confirmando isso);

CHIP, KIT E ÔNIBUS: leve o seu ChampionChip (se possuir) para validá-lo ao retirar o seu kit ou compre um no stand exclusivo da marca (para quem for correr pela primeira vez, tem que comprar o chip antes de fazer a retirada do kit). Retire o seu kit na área exclusiva destinada aos estrangeiros (normalmente, fica no fundo da Expo, do lado direito). E, se você for dormir em Durban na véspera da prova, compre o seu bilhete de ônibus, no stand Maharaj Coaches, caso o seu pacote de viagem não inclua o transfer. É esta empresa que levará você, por volta de 3h00 ou 3h30, de Durban para Pietermaritzburg. Lá você também se informa sobre o transporte dos acompanhantes (normalmente, esse ônibus saem da rua que fica atrás do Southern Sun Garden Court Marine Parade, mas se informem por lá confirmando isso);

INTERNATIONAL TENT: você poderá comprar pulseiras para os acompanhantes que quiserem ficar na tenda dos estrangeiros, no local de chegada da prova. Haverá um custo mas o valor não é caro;

ROUTE TOUR: se você chegar em Durban até quinta-feira (dia 30) ou sexta (dia 31), não perca a oportunidade de conhecer o percurso. Informe-se em detalhes na Expo, no local destinado à nossa retirada de kit, pois há uma taxa a ser paga para levar acompanhantes e os atletas que tiverem interesse também precisam confirmar (provavelmente, haverá entrega pulseira para ter direito ao passeio). Os ônibus sairão pontualmente às 8h00 de sexta-feira, em frente à Expo (bem em frente ao hotel Hilton) e acredito que haverá ônibus também no sábado (confirmar na Expo). Quer saber a minha opinião? Se esta é a sua primeira Comrades, vale a pena. O ônibus irá direto para Pietermaritzburg, pela auto estrada. Lá haverá uma parada com comidas e bebidas na Comrades House (a sede da Comrades, onde fica também o Museu). Além do percurso inteiro, você conhecerá pontos históricos como o Wall of Honour e o Artur’s Seat e. Leve itens que identifiquem o Brasil, pois os atletas de outros países costumam trocar por flâmulas, pins, bonés etc. para recordação. Os ônibus chegam de volta na Expo normalmente por volta de 12h30 a 13h00;

Percurso da Comrades (neste caso da foto, a largada e chegada mostram uma Up Run)
Percurso da Comrades (neste caso da foto, a largada e chegada mostram uma Up Run)

 

Comrades House, em Pietermaritzburg (tanto a sede como o museu ficam nesta casa)
Comrades House, em Pietermaritzburg (tanto a sede como o museu ficam nesta casa)
Wall of Honour
Wall of Honour

 

MASSAGENS: são muito boas as que são feitas na Expo, mas fique atento que na sexta as filas já aumentam um pouco e no sábado a espera é bem grande. Para o sábado, se desejar fazer massagem, recomendo ir pontualmente às 9h00, quando abre a Expo. Obs: veja outra dica de massagem no texto abaixo, só que fora da Expo;

PRODUTOS LICENCIADOS (Official Merchandise): ficam em um local separado e, para este ano de 2014, a maior novidade de todas: pela primeira vez, a marca oficial da Comrades é a New Balance, que promete oferecer uma ampla gama de produtos licenciados (nos últimos 12 anos, as marcas oficiais foram Reebok e Nike). Você não pode deixar de comprar pelo menos um item que tenha o símbolo da Comrades;

SPORTSMAN WAREHOUSE: não posso deixar de citar esse stand. Essa é uma das melhores lojas de esportes do país e vocês verão o seu tamanho quando andarem pelos shoppings. Porém, na Expo, os preços são mega promocionais e para vários itens vale muito a pena. É um stand bem pequeno, não espere nada enorme, mas tem muitos itens, desde GU, GU Chomps, GU Roctane, barrinhas energéticas e de proteína, luvas, porta-caramanholas, caramanholas, capa para chuva, capa para frio (bem baratas), tênis etc. e um destaque especial para as Meias FALKE. É a melhor meia que já usei até hoje e realmente sou fã. Sem costura, Left & Right, macias, gostosas. Meias para pisada neutra ou meias para pronadores, masculinas e femininas. Por um preço bem vantajoso, você compra um par de meias igual ou melhor que os que custam bem mais caro no Brasil. Os itens FALKE normalmente ficam junto à Sportsman Wharehouse e o pagamento é no mesmo caixa. (Obs.: a FALKE é uma empresa alemã e que tem fábrica em Cape Town). Além disso, outra dica bem interessante: se você pensa em comprar gel da GU, o preço promocional do stand da Sportsman Wharehouse é mais barato do que no stand da própria GU. Acredite. E mais uma dica pessoal: sou fã dos sabores Peanut Butter (amendoin) e também do Espresso Love (café). Deliciosos!

 O FRIO NA LARGADA: para quem vai correr a Down Run pela primeira vez, algumas dicas importantes:

  1. Fique atento na previsão do tempo em Pietermaritzburg para o dia 01/06. Em 1965, nevou na largada. E eu já peguei 2 graus! Pode estar bem frio…
  2. Se estiver muito “quente”, fará uns 10 a 12 graus. Tenha um Plano A e um Plano B;
  3. Leve roupas velhas para te aquecer e depois descartar. O público aguarda essas roupas;
  4. Se estiver frio, eu vou largar com 3 camadas: a regata com os números de prova, uma camiseta manga curta por cima e um moleton velho manga comprida. Ah! Não tem problema “esconder” o número nas primeiras horas de prova;
  5. Importantíssimo: luvas nas mãos e boné ou gorro! Proteja as extremidades!
  6. Sentiu que aqueceu antes do km 7, tire a roupa extra ou as luvas e coloque na cintura: na Polly Shortts é comum a temperatura despencar! Já teve Down Run que eu descartei a última peça de roupa com mais de 2h30′ de prova;
  7. Observe o comportamento dos mais experientes ao seu lado. É sempre mais uma referência;
  8. E faça uma ótima prova. Destino: Durban.

SHOSHOLOZA: http://www.youtube.com/watch?v=5l0XpCo736Y. Emocionante! É isso o que você vai ouvir faltando poucos minutos para o tiro de largada. Letra original:

Shosholoza

Shosholoza

Ku lezontaba

Stimela siphum’ eSouth Africa

Shosholoza

Shosholoza

Ku lezontaba

Stimela siphum’ eSouth Africa

Wen’ uyabaleka

Wen’ uyabaleka

Ku lezontaba

Stimela siphum’ eSouth Africa

A rough translation:

Go forward

Go forward

on those mountains

train from South Africa.

Go forward

Go forward

You are running away

You are running away

on those mountains

train from South Africa.

 

SERVIÇOS DE MASSAGENS: particularmente, gosto de soltar a musculatura em dias que antecedem treinos longos e principalmente a prova. Lá em Durban, conheço uma massagista excelente e já fiz massagens algumas vezes com ela (além da massagem, ela usa também pedras quentes – “hot stones”). Há opções de 60 ou 90 minutos e recomendo a quem sentir necessidade ou tiver o hábito. O nome dela é Busie Majola, email othandweni@yahoo.com. O que eu recomendo é deixar agendados dias e horários e o valor é pago em dinheiro no dia da massagem. E ela atende no hotel de cada um. Caso a Busie não tenha horário, outra opção é a Tanya Turner, email mobilemassagedurban@gmail.com. Deixo claro que eu já usei esses serviços e nunca tive problemas; porém, não posso me responsabilizar caso ocorra algum contratempo. Vale apenas como indicação;

PLUGUE: lembrem-se que a tensão na África é 220V e que as tomadas são de 3 pontos redondos, totalmente diferentes das nossas. Nem todos os hotéis tem disponibilidade de adaptadores e é grande a chance de não ter nenhuma tomada do nosso padrão no quarto ou no banheiro do hotel. A solução: nos supermercados você acha facilmente e por preço acessível um adaptador como esse da foto abaixo, onde dá para encaixar qualquer plugue do nosso padrão;

Plugue sul africano
Plugue sul africano

SUPERMERCADOS: todos nós teremos que comprar alguns reforços de alimentação e hidratação: frutas, sucos, água etc. Alguns dos melhores supermercados são SPAR, Checkers, Pick’n Pay e Shoprite. Uma outra excelente opção, que é a minha preferida, com produtos muito mais selecionados e opções naturais é a rede Woolworths Food (há também Wooworths para roupas, casa etc.), que atua no segmento de supermercados, mas comercializa também roupas e outros itens;

SHOPPING CENTERS: se o assunto é shopping, seja para compras, restaurantes e até entretenimento (como iMax e cinemas), sem sombra de dúvidas a resposta é uma só: Gateway Theatre of Shopping (http://www.gatewayworld.co.za/), ou apenas Gateway, que é nada mais, nada menos, que o maior centro de compras de todo o continente africano. Nem em Johannesburg há algo parecido. Fica a cerca de 16 km de Durban, em uma cidade vizinha chamada Umhlanga. Recomendo juntar um grupo e rachar um taxi para ir até lá. Se, por acaso, alguém te indicar o shopping Pavillon, pode esquecer. É grande também, mas não chega nem aos pés do Gateway em termos de diversidade, qualidade e segurança. Ótimos restaurantes você encontra no Gateway e é uma ótima opção para saborear um prato de massa na fase de Carbo Loading.

 Porém, uma outra opção também muito interessante e eu diria até imperdível é o uShaka Marine World (http://www.ushakamarineworld.co.za/), que além de shopping (bem mais modesto, é verdade), tem restaurantes e um espetacular centro de entretenimento. Lá, primeiro eu recomendaria passear pelo shopping, com boas opções de lojas inclusive para itens típicos africanos para levar de lembrança ou de presente. Depois, almoçar no ótimo restaurante que fica dentro de uma réplica de navio, em tamanho real. Nesse restaurante, as mesas ficam próximas a um enorme vidro que nada mais é que um aquário de tubarões. Nesse dia, então, prepare-se para almoçar na companhia dos tubarões, que passarão a centímetros de você. Para quem estiver em viagem com crianças, é roteiro obrigatório. Clique no link e role para baixo: http://www.ushakamarineworld.co.za/restaurants/cargo-hold

uShaka Marine World
uShaka Marine World

Finalmente, lá no complexo tem aquário e um maravilhoso show de golfinhos e também show de focas, no chamado uShaka Sea World. Há 3 shows diários, mas os horários não estão divulgados no site. Verifique ao chegar lá, sendo que o último deve ser por volta de 15h00.

MOSES MABHIDA STADIUM: vale um passeio até o estádio da Copa do Mundo 2010, onde o Brasil jogou contra Portugal. Lá, é possível fazer um passeio através de uma espécie de bondinho sobre trilhos que te leva até o topo do arco de concreto que passa sobre o estádio. De lá do alto, em dia de céu de brigadeiro, a vista da cidade é espetacular;

Moses Mabhida Stadium
Moses Mabhida Stadium
Moses Mabhida Stadium
Moses Mabhida Stadium

VAT (Tax Refund): guarde todas as notas fiscais de compras de bens lá na África para ter o reembolso do imposto ao sair do país. Lembrem-se: só vale para bens duráveis, como roupas, tênis, óculos, relógios, lembranças, livros e até mesmo vinhos. Não vale para gastos em supermercado, restaurantes, hotéis etc. IMPORTANTE: em cada compra você deve exigir o TAX INVOICE, que é a Nota Fiscal. Nela deve conter o número do VAT (que significa, em português, Imposto sobre o Valor Agregado). Se, por acaso, alguém for fazer uma compra de valor muito elevado, superior a 3000 Rand, é necessário fazer constar no TAX INVOICE também o endereço do comprador. Como proceder para ter o imposto de volta? Veja os passos:

Guarde todas as notas fiscais (Tax Invoice com o número do VAT);

Se forem miudezas e não forem líquidos, deixe na bagagem de mão. Se forem muitas coisas ou itens de maior tamanho ou volume, arrume a sua mala que será despachada, só que deixando esses itens na parte de cima, por facilidade;

  1. Antes do Check In para o vôo de volta, mesmo que seja um vôo doméstico em Durban (ou mesmo Cape Town, para quem for passear por lá), que fará a sua conexão em Johannesburg para embarcar no vôo que levará a São Paulo, vá ao stand do TAX REFUND (você vai ver sinalizado em letras garrafais), apresente todas as notas fiscais e a funcionária vai te solicitar que apresente um ou mais itens de cada compra, só para comprovação. Por exemplo, se você comprou 3 camisetas na mesma loja, em geral basta mostrar uma. Se comprou 5 livros, normalmente basta mostrar um ou dois. Nem sempre ela pede para mostrar tudo. Por exemplo, se você apresentar 5 notas fiscais a ela e ela já tiver conferido pelo menos um item de 2 ou 3 notas, é comum ela confiar no restante e nem conferir. Feita essa conferência por amostragem, a funcionária irá conferir a validade do reembolso (naquele critério de bens duráveis) e carimbar cada uma das notas fiscais confirmando que os itens foram inspecionados;
  2. A funcionária irá solicitar o seu passaporte e também o comprovante da sua passagem de volta para o Brasil (tenha em mãos pelo menos a impressão do seu e-ticket do vôo de JHB para GRU);
  3. E, em um procedimento muito simples e ágil, ela vai te entregar um envelope contendo um cartão magnético Visa Electron / Visa TravelMoney, bem como uma senha para resgate;
  4. E, somente após 3 dias úteis e apenas fora da África do Sul, você poderá resgatar o seu dinheiro em reais (se for no Brasil) nos caixas eletrônicos;
  5. Dica importante: ao resgatar, como o valor está em dólar, faça sucessivas tentativas sempre próximo do valor máximo, reduzindo de 10 em 10 reais (supondo que você foi a um terminal que tenha cédulas de 10 reais). E saque tudo de uma só vez, pois dois motivos: 1) acredito que não será uma grande fortuna; 2) há uma tarifa que é cobrada por saque e, sendo assim, melhor pagar uma vez só.
  6. Esse cartão tem validade de 1 ano;

 

Ressalto que, na volta da Two Oceans 2014, foi exatamente esse o procedimento que eu fiz ao retornar de Cape Town e funcionou perfeitamente. 

Importante: supondo que o seu retorno seja pelo aeroporto internacional de Durban, qual é a vantagem de fazer todo esse procedimento lá mesmo em Durban? Simplesmente pelo fato de, ao despachar as malas, você poderá já direcioná-las ao destino final, ou seja, São Paulo, sem que para isso tenha que retirar as bagagens na esteira de Johannesburg para ter que fazer novo check in. É uma grande vantagem tanto pelo conforto como pela economia de tempo.

UNOGWAJA CHALLENGE: Eu fui um dos 12 selecionados a participar deste desafio (havia um total de 35 atletas do mundo inscritos, concorrendo a uma das 12 vagas). E serei o primeiro brasileiro da história a percorrer quase 1700 km de bicicleta em 10 dias, de Cape Town até Pietermaritzburg, para correr a Comrades no 11º dia. A largada da minha prova será pontualmente às 4h00 da madrugada do dia 22 de maio, em Cape Town. Ou seja, no horário de Brasília, a minha largada será às 23h00 do dia 21 de maio, quarta-feira. A melhor maneira de acompanhar, passo a passo, cada um dos 10 dias de bike pela África do Sul, é me seguindo pelo www.facebook.com/nato.amaral , pelo meu perfil no Instagram @natoamaral ou ainda pelo meu Twitter @natocomrades. Eu e mais 11 atletas partiremos para cumprir uma longa jornada, com 13 pessoas de equipe de apoio, em 5 carros. Trata-se de um evento oficial da Comrades com um único objetivo: filantropia. Nossa meta é arrecadar doações para entidades beneficentes da África do Sul. O vídeo promocional da edição de 2014 você encontra no https://www.youtube.com/watch?v=mLB6MOR44SI

Unogwaja Challenge
Unogwaja Challenge
Unogwaja Challenge
Unogwaja Challenge

 

RED LOVE TRAIN: importante destacar que eu e os outros 11 atletas do Unogwaja Challenge faremos uma Comrades com a meta pré-estabelecida de cruzar a linha de chegada com o tempo de 11h15’ a 11h30’ de prova. Ou seja, será uma prova cadenciada para buscar, com segurança, uma medalha Vic Clapham. E sem colocar em risco a possibilidade de corte pelo tempo limite de 12 horas. Se você entender que esse será o seu ritmo de prova também, intercalando corrida e caminhada durante todo o trajeto, você pode se juntar a nós, largar em uma baia especial chamada “CC”, entre outras vantagens, e correr com o nosso grupo, formando o Red Love Train. Mais informações em http://www.unogwajachallenge.com/2014RedLoveTrain.aspx

Aos vários atletas que concluirão a Comrades em menos de 11h15’, faço um pedido especial: me esperem na chegada lá em Durban! Vamos mostrar a energia e a alegria do povo brasileiro!

A mais importante de todas as dicas: faça da Comrades a corrida mais inesquecível de sua vida! Boa prova!

Aproveitem cada metro do percurso, corram com inteligência, não desperdicem tempo, derrubem cada um dos Big Five do percurso, um de cada vez, até avistar o Oceano Índico, chegar na região metropolitana de Durban e ir para a glória! Lembrem-se que, do alto do último viaduto, você verá bem distante o Hotel Hilton (com fachada de alumínio e vidro) e, ao lado dele, nitidamente identificará as torres de iluminação do Kingsmead Cricket Stadium. E é para lá que você vai! Parabéns pela coragem! Sucesso no dia 01 de junho de 2014!

 Contem comigo no que precisarem. Ressalto que eu embarcarei de Guarulhos para Johannesburg e Cape Town no vôo das 18h00 do dia 17 de maio, sábado. Portanto, a partir do dia 18 de maio estarei completamente concentrado e provavelmente não conseguirei responder a todas as mensagens que me enviarem. Conto com a sua compreensão.

E nos vemos na chegada em Durban!

 

Shosholoza!

 

Nato Amaral

Green Number # 48418

Embaixador da Comrades no Brasil

nato.spfc@gmail.com

(11) 98370-1971

 

COMRADES_Africa

 

Versão em PDF da carta para quem quiser fazer o download aqui.

2 comentários em “Segunda carta de Nato Amaral aos corredores brasileiros na Comrades

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: