A chata chuva chata

A corrida é o mais simples e viável dos esportes. Pode até ter tempo feio como nos mais bíblicos dos torós – mas basta um pouco de bom humor e ele imediatamente se metamorfoseia em uma inesperada diversão.

Escorregar e cair cinematograficamente? Não há corredor que não tenha enfrentado uma trilha úmida em condições adversas que não tenha passado por isso. E se levantado. E ignorado os hematomas para seguir adiante com a mesma motivação.

Corrida é terra, elemento que nós, humanos, dominamos como poucos.

É diferente de ciclismo. Ciclismo é ar, é o vento que se forma com a velocidade, é o assobio que nos diz que estamos voando e desafiando as nossas próprias condições. É, talvez, um esporte tão mágico quanto a corrida… mas que requer os cuidados de quem sabe que está brincando em um elemento para o qual a nossa espécie não foi concebida.

Na bike, a chuva é um problema: ela determina, ao menos para iniciantes como eu, se haverá ou não treino. Ela gera ansiedade, expectativa, frustração. Exige mais respeito, mais cautela, mais conservadorismo. Mais paciência.

Paciência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: