Aquela dor que não vai embora

Não só não vai, mas aparentemente decidiu entregar-se à histeria e começar a gritar insanamente pelos quatro cantos do corpo.

A dor nas costas, aliás, está tamanha, que até respirar passou a ser uma tarefa que requer cautela.

O treino de ontem à noite, naturalmente, foi cancelado: se não consigo andar direito sem grunhir, imagine então trotar ou correr.

O de hoje, ainda não sei.

Mas sei que falta pouco mais que duas semanas para a Bertioga-Maresias e que as costas precisam estar inteiras até lá. Como vou trabalhar essa reta final de treinamento me sentindo pela metade? Nem ideia.

Mas algum jeito certamente darei. Ou melhor: é até mais provável que essa dor (e o consequente descanso forçado) façam bem para a performance.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: