Já no groove

A parte mais difícil do início de uma nova temporada ou de um novo ciclo é, sem a menor sombra de dúvidas, a descoberta de uma nova rotina. E mais: quanto mais intenso tiver sido o ciclo anterior – e, consequentemente, quanto mais cansado o corpo estiver – mais árido é esse retorno.

Senti isso na pele depois do Unogwaja. Senti mais ainda depois da BR135+.

A diferença entre ambos foi que, depois do Unogwaja, me inscrevi em tudo quanto foi prova como se não houvesse amanhã, imerso em uma afobação que ultrapassava os limites da estupidez e da ingenuidade. Aprendi o erro a duras penas, quanto mergulhei em uma estafa física poucos meses depois.

Aí me recuperei, chacoalhei a poeira do corpo e me preparei para a BR. Que também ficou para trás, como ficam todas as metas. O que fiz depois dela? Pus em prática a lição aprendida.

Dei tempo ao tempo. Criei novas metas sem cravar provas para testá-las. Dei ao corpo tudo o que ele pediu para se encaixar em um novo estado de treinamento, para se adaptar à bike que, agora, faria parte da rotina, para se entender com o despertador que voltou a cacarejar às 4:20 da manhã.

E, assim, com um dia depois do outro, entre braçadas, pedaladas e corridas, o groove voltou.

Seja bem-vindo novamente, ritmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: