Vale do fim de ano

Minha segunda passada já amanheceu denunciada pelo Whoop, que indicava uma recuperação corporal abaixo dos 30%.

Não foi só pela maratona do domingo, claro: foi todo um conjunto da obra. O domingo, afinal, encerrou o ciclo de provas do ano – e o fez deliciosamente dentro da meta que eu buscava como qualify para a Comrades.

Depois disso, depois de um ano com tantas metas e tangas primeiras vezes, nada mais natural que o corpo se entregar e mergulhar em uma espécie de vale de resistência.

Veio dor espalhada por cada músculo, veio febre, veio enxaqueca, veio moleza generalizada, veio sono, veio tudo.

Tudo para me forçar a descansar um pouco, a dormir por algumas horas seguidas a mais, a deixar de madrugar, ainda que por alguns dias, para bater ponto na USP.

Obedeci.

O descanso, uma espécie de reset total, fez um bem que nem eu imaginava. Mesmo atolado na cama, imobilizado pelo peso súbito que cada célula pareceu ter se auto-acrescido, cada punhado de tempo era dividido por sorrisos involuntários, cheios de vontade própria.

E passou-se a segunda. E a terça.

Na quarta, a melhora já era nítida. Pedalei no rolo, em casa, fazendo um trajeto qualquer no Zwift apenas para me soltar. Na quinta, natação.

À noite, sob garoa e frio, na piscina aberta. Não estava mais preocupado com gripe: ela já tinha cumprido seu papel e dificilmente voltaria.

Foi catártico.

Na sexta, estava normal. Corrida, natação.

Pedal longo no sábado, comendo cada quilômetro em voltas e mais voltas pelo Parque Ecológico do Tietê. Ontem, uma corrida de bike no Zwift, acelerando as pernas em velocidade máxima até jorrar ácido lático.

E pronto: tudo novo de novo.

Agora é aproveitar o final de ano com aquele encaixe lindo e sem responsabilidades de água, pedal, corrida. Tudo entrelaçado. Tudo intercalado. Tudo se somando em endorfinas triplicadas sob o sol de um bem-vindo verão brasileiro.

Agora é hora de comemorar o ano que se foi fazendo o que mais gosto: suando livre.

Níveis de estresse corporal (azul) e recuperação diária (vermelho, amarelo e verde) medidos pelo Whoop

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: