Sobre mim

Considerando que estamos falando de um vício, a melhor maneira de me definir para os propósitos deste blog é: sou Ricardo, nasci em 77 e corro desde 15 de março de 2011.

De passo em passo, fui rodando pelas ruas do mundo e correndo provas de 5K, 10K, meias e maratonas. Nessas últimas, descobri que correr por horas a fio é um dos exercícios mentais mais sofisticados que existem – e mais eficazes.

Aí parti para a primeira ultra, a Two Oceans, na belíssima Cidade do Cabo, em março de 2013. O que parecia um feito sobrehumano para mim – correr 56km em pouco mais de 5 horas – era encarado quase como cotidiano pelos sulafricanos, que tinham essa prova como um treinamento de luxo para a Comrades.

Desde que cruzei a linha de chegada essa prova ficou presa em minha mente. São 89,9km – mais que duas maratonas somadas – em um percurso recheado de subidas e descidas. Difícil? Sem dúvidas.

Impossível? Com certeza não.

E foi com essa conclusão que a jornada para Comrades começou em outubro de 2013. Completei a prova em junho de 2014, sob lágrimas que rolam fáceis para qualquer ultramaratonista, coroando um treinamento duro.

A ideia desse blog foi justamente narrar uma ultramaratona para se conseguir chegar preparado a uma ultramaratona, abordando desde aspectos físicos de treinamento até tensões, medos, prevenção de lesões e tudo mais.

De lá para cá, acabei me focando também em trilhas e em ultramaratonas fora do asfalto. Há outro blog focado nisso, o www.rumoastrilhas.com , narrando toda essa outra jornada.

Seja qual for a que deseje acompanhar, seja muito bem vindo.

30 comentários sobre “Sobre mim

  1. Olá Ricardo,

    Parabéns pelo blog e por lançar-se ao desafio de correr a Comrades, ou seja, a Rainha das Ultramaratonas.

    Sou um dos que te acompanharei aqui no blog e nas estradas que ligam Pitermaritzburg a Durban.

    Dia a dia, venho atualizando a relação de Brazucas que irão correr a prova de 2014.

    Hoje, faltando 15 dias para encerrar as inscrições, somos 109 Brasileiros na prova.

    Passe lá, confira o teu nome e deixe o seu recado

    Ultra abraço,

    Dionisio Silvestre
    http://correrpurapaixao.blogspot.com.br

  2. Oi Ricardo, tudo bem?
    Me identifiquei muito com o teu blog, pois também estou me preparando para a Comrades. A diferença é que meu caminho é bem mais longo, pois ainda terei que passar pela meia maratona, maratona, para somente então encarar a ultra (acredito que irá acontecer em 2016).
    Estou registrando este caminho no blog http://www.90km.wordpress.com.
    Outro ponto em que me identifiquei com você é buscar treinar em diferentes lugares e para evitar roubadas como a que você passou em Brasília criei o Runner Turismo. (http://90km.wordpress.com/2013/11/14/runner-turismo-serie-parques-ibirapuera-sp/)
    Abraço e boa sorte.

  3. Oi pessoal sou o Gracco Lopes e esse ano buscarei minha medalha back to back.
    Posso afirmar que essa prova é a mais fantástica que já corri (no currículo já fiz as Maratonas de São Paulo (2009), Porto Alegre (2010), Paris (2011), São Paulo e Chicago (2012) e ano passado a tão famosa Comrades!
    Vamos que vamos para mais um desafio! Estou a disposição para compartilhar minha experiência na prova do ano passado.
    Grande abraço!

    • Oi Gracco! Prazer ter ver por aqui!

      Bom… Já q vc se colocou à disposição, já mando a primeira pergunta! Como foi seu treino para a Comrades do ano passado e que mudanças ou ajustes está fazendo para essa temporada?

      Subi ontem um post com uma previsão de rodagem até lá e de longões e, apesar de estar relativamente confortável com o plano, ouvir a opinião de quem tem mais experiência é sempre bem vindo.

      • Oi Ricardo, é um prazer dividir um pouco do que vivenciei na minha preparação em 2013.

        Foram 14 semanas. 5 vezes por semana. Segundas, quartas, sextas, sábados e domingos.
        Sendo os longões no final de semana com um importante detalhe, o que fosse feito na sábado repetia-se no domingo (Broke training). As segundas e sextas eram regenerativos e nas quartas, tiros ou fartlek. O mais importante do método foi me preservar de lesões por stress, pois não corri mais do que 36km em um sábado e repeti no domingo. Mas ao mesmo tempo em 24h o organismo não consegue se recuperar totalmente do desgaste do treino do sábado e com isso estamos oferecendo para nosso corpo um carga imensa de desgaste fisiológico mas com menos desgaste por impacto. Tive também um sábado que fiz 42km na USP e 21km no domingo e um outro sábado que foram 5 horas (51km) e no domingo 10km.

        Observando o que está planejando vejo muita similaridade com o que fiz em termos de número de dias de treino e volumetria semanal. Entretanto, não pretendo rodar 60km na preparação . Falo isso baseado no que pude presenciar de colegas que por buscarem rodar distâncias na casa de 60-68km, desenvolveram fascite plantar e tiveram que abandonar a prova a 1 mês dela…Lembro sempre do meu treinador Ricardo Arap (Race) dizendo na ultima fase de treinos: menos é mais!

        Para esse ano, repetirei a preparação, incluindo 1 ou 2 treinos no pico do Jaraguá (4,7 de subida e depois 4.7 de descida), no resto não pretendo mudar.

        Da experiência vivida, posso garantir que o treino é duríssimo! Mas te fortalece mentalmente, e isso, vai te levar para a linha chegada quando algumas dúvidas surgirem durante a prova. Outro fruto colhido sem dúvida e o estado que fiquei no pós prova. Estava cansado, mas inteiro, a ponto de no jantar comermos (eu, esposa e filho) frutos do mar e vinho branco para celebrar. Ou seja, independente do tempo de conclusão (10h09min40seg) e colocação (3555º de 18000 que largaram) temos que pensar em superar o que imaginamos ser algo muito difícil (e realmente é!) mas jamais superar o limite do corpo pois bom mesmo é curtir com qualidade os louros do pós prova e altíssimo senso de dever cumprido que saborearemos por meses e meses após o feito.

        Espero ter colaborado com meus comentários. Reforço novamente minha disponibilidade para tratar de outros temas que tiver interesse.

        Grande abraço.

  4. Pingback: Relatório de treinamentos até 12/01: maior rodagem até o momento | Rumo a Comrades 2014

  5. Vou acompanhar sua evolução! Treino para uma prova de ultramaratona, cuja distância a ser percorrida é de 112 km! A prova não existe em calendário nenhum e também não haverá outros participantes. Somente eu e uma equipe de apoio. No meu caso não existe uma prova organizada e tradicional, mas um estudo pessoal e íntimo sobre questões psicológicas do ser humano antes, durante e depois da prova.

  6. Ola Ricardo!
    Gostaria de saber sobre o funcionamento do Adidas miCoach Smart Run que vc esta utilizando. Ele funciona realmente? Da alguma pane no GPS e principalmente no sensor de batimentos cardiaco apos o braço ficar suado?
    Obrigado e aguardo.

    • Oi Nelaton! Ele funciona perfeitamente bem. Já inclusive testei o GPS contra outros aparelhos e a sincronicidade é ótima.

      Tb tinha a preocupação com o suor estragar o sensor mas, até hoje, isso nunca aconteceu – e olhe que já corri em lugares BEM úmidos e quentes. Recomendo muito esse relógio.

      O único problema dele é a bateria, que realmente dura pouco e precisa ser carregada todo dia.

  7. Olá Ricardo! Lendo seu post vivenciei agora, sentado na minha cadeira no trabalho, os dois últimos anos (20012 e 2013) quando estava exatamente onde estás agora. Esse momento da conexão, a ansiedade de encontrar a feira da Comrades, de vivenciar logo, depois de tantos kms, a aproximação da prova. Primeiramente o parabenizo pela decisão, acertada ao meu ver, de fazer a mais famosa, bela e desafiadora corrida de rua existe. Na verdade, como bem conceituou, a Comrades é muito mais que uma corrida. É muito mais que uma ultracorrida! A Comrades é um momento de alma e coração, algo que ainda não descobri ao certo, mas voltarei e espero decifrá-la, sempre com um fundo de vontade de não descobrir para ter que voltar outras e outras vezes! A Comrades marcou tanto que as tenho tatuada na perna! Como fiz os dois percursos, esse ano dei preferência para fazer, em dupla, a Ultra dos Anjos, em meados de Junho. Confesso que fiquei aqui com o coração apertado e com muita vontade de estar aí, curtindo esse momento de ansiedade e de descobrimentos ímpares. No momento da especial e arrepiante largada será como se ali eu também estivesse, não tenho dúvida! Torcerei para quatro amigos do Rio, e agora por você também, passo a passo! Se puder, me passe o seu numeral! Forte abraço e, shosholoza!

    • Ilson, a ansiedade só cresce. Até Durban, que em um primeiro momento me pareceu um local meio decadente, já passou para o status de “incrível” nas últimas horas pelo clima, pela face mais africana que as cidades do oeste, pelo por do sol, pela Comrades. Impressionante.

      Estou contando as horas para poder ter a sensação que vc descreveu.

      Obrigado pela torcida! Meu número de peito é 13668!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s