Qualify na Maratona de Curitiba

Não vou dizer que larguei com sangue nos olhos e descanso nas pernas. Ao final de um ano tão intenso e apenas um mês depois de devastadores 75km na Bertioga-Maresias, o cansaço acumulado já circula tão livre pelas minhas veias que aprendi até a me acostumar com suas pequenas dores e pontadas fora de hora. ... Continuar Lendo →

De volta, de leve

Hoje é dia de retomar as ruas. De leve. Com calma. Sorvendo a vontade de correr aos poucos, de gole em gole, de quilômetro em quilômetro. Como deve ser para quem quer pegar de volta aquelas ondas de endorfina que costumavam vir em um fluxo tão constante. Dia bom, esse que a gente faz o... Continuar Lendo →

a vida no esporte profissional

Tive a honra de pedalar e correr ao lado da Lee-Ann Persse no Unogwaja desse ano - atleta olímpica que, possivelmente como todos os atletas olímpicos, carrega uma força inacreditável dentro de si. Ontem ela deu uma entrevista (curtinha, mas bem interessante) para algum canal sul-africano sobre a vida no esporte profissional e a aura... Continuar Lendo →

42 quilômetros

Seja qual for a história real por trás da maratona, o fato é que os 42km inventados pelo homem para definir a prova mais sofisticada do atletismo conseguem definir toda a existência humana com uma precisão desconcertante, inigualável. 42 quilômetros. É como se a vida inteira, do nascimento à morte, se encaixasse nessa exata distância.... Continuar Lendo →

O que fazer agora?

O último post que fiz aqui foi há mais de 15 dias. Não foi à toa: a aventura lá na África me fez repensar tanto as minhas próprias metas e ambições endorfinadas que me peguei em uma espécie de encruzilhada. O que fazer agora? Voltei do Unogwaja com a absoluta certeza de que nunca mais... Continuar Lendo →

Na Runner’s World

Lá em 2011, quando começava a correr as minhas primeiras provas, comprava essa revista para entender onde realmente estava querendo chegar e me inspirar com o mundo de histórias contidas em suas páginas. Hoje, 7 anos depois, me vejo justamente como uma dessas histórias. Dá um certo orgulho 🙂

Dia dos pais

Como muitos pais, todos os meus esforços na criação das minhas filhas são concentrados em dar a elas as ferramentas que julgo mais importantes para que elas construam as suas próprias vidas. Não são tantas ferramentas assim, sendo bem sincero - mas todas são absolutamente polivalentes. Não acredito, por exemplo, que seja possível compreender bem... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑