70.3 solo, parte 3 (final): Corrida

Antes de dar os meus primeiros passos, imaginei que seria difícil correr a meia maratona com aquele cansaço todo. Quando dei os primeiros passos, sentindo aquele peso do início de corrida imediatamente depois de pedalar, tive absoluta certeza disso. Mas, depois de cinco, talvez 10 minutos... tudo mudou. Não sei ao certo como ou por... Continuar Lendo →

70.3 solo, parte 2: Ciclismo

Alguns minutos se passaram até que o trânsito aliviou e eu pudesse encontrar uma brecha para iniciar a pedalada. O tempo, no entanto, continuou seu ritmo, deixando claro que era aquilo a diferença entre uma prova pessoal e uma prova organizada, com estradas fechadas e estruturas preparadas. Para mim, aquilo era irrelevante. Só o que... Continuar Lendo →

Entre heróis gigantes

Ontem, André Costa, meu parceiro no Unogwaja do ano passado, concluiu a UB515 - um ultratriathlon que inclui 10km de natação, 421km de bike e 84km de corrida ao longo de três dias. Na outra ponta do país, em Floripa, praticamente um exército de colegas da BR Esportes fechou o Ironman 70.3 com direito a... Continuar Lendo →

Como foi a Maratona de São Paulo

Criticar a Yescom, principal organizadora de provas de corrida de rua no Brasil, virou uma espécie de esporte nacional há alguns anos. E, em grande parte, até havia mesmo motivos relevantes: a confusão generalizada (e desnecessária) da São Silvestre, a resistência em fazer ajustes mínimos em maratonas e meias pela cidade, a própria comunicação no... Continuar Lendo →

Triday: a primeira prova de triathlon

Prova é prova. A distância pode ser a mesma que a de um treino, o percurso pode ser o mesmo, o clima até pode estar mais ameno - mas, por algum motivo qualquer, o coração palpita de uma maneira diferente. Principalmente nesse caso. Foi a minha primeira prova de triathlon, um olímpico incluindo 1.500m de... Continuar Lendo →

O que uma boa dose de suor faz

Mesmo com essa intoxicação corporal esquisita que tive depois do triathlon, o sorriso permaneceu colado ao meu rosto. Da mesma forma que quando cruzei a chegada da BR135. E do Unogwaja. E das Comrades. E de praticamente qualquer ultra que já fiz em toda a minha vida. No final, uma boa dose de suor, daquelas... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑