Em busca das impossibilidades

Estes últimos 12 meses foram muito, muito singulares para mim. Embora tenha já dedicado anos às ultras, foi nesse período que concentrei dois dos desafios que, até pouco tempo, considerava como excepcionalmente fora do meu alcance: o Unogwaja, em junho do ano passado, e a BR135+, em janeiro deste ano. As descobertas que vieram desses... Continuar Lendo →

Desabafo curto

Eu amo morar em São Paulo. Aqui tem de tudo: gente de todos os tipos, opções culturais incomparáveis, escolas fantásticas para as crianças, oportunidades de negócio em cada esquina. É o tipo de lugar que dá para vir, se propor um desafio monstro qualquer e batalhar até chegar onde se deseja. Aqui construí minha vida:... Continuar Lendo →

Entre heróis gigantes

Ontem, André Costa, meu parceiro no Unogwaja do ano passado, concluiu a UB515 - um ultratriathlon que inclui 10km de natação, 421km de bike e 84km de corrida ao longo de três dias. Na outra ponta do país, em Floripa, praticamente um exército de colegas da BR Esportes fechou o Ironman 70.3 com direito a... Continuar Lendo →

Não é overtraining; é overtasking

Volta e meia, principalmente quando estou às vésperas de alguma grande prova, sou assombrado pelo fantasma do overtraining. Exausto pelo acúmulo de atividades de longa duração, o corpo responde com sonos ancestrais, desmotivação generalizada e um tipo de fraqueza que chega a perambular pelos corredores de doenças bestas como gripes ou febres de menor intensidade.... Continuar Lendo →

A melhor fase do treino

Ultramaratona não é apenas correr distâncias impensáveis por horas a fio: é tirar prazer disso. Mas quando se treina para alguma prova alvo, é normal estruturar uma planilha com tantos detalhes e fases e ciclos que, por vezes, acabamos substituindo, sem perceber, o prazer pela obrigação. Não que isso seja um pecado: é simplesmente impossível... Continuar Lendo →

Começando dias melhores que os outros

Clack. Clack. Swoosh, swoosh, swoosh. Na penumbra que ainda persiste nas ruas da Cidade Universitária às 5 da manhã, o silêncio é quebrado apenas por sapatilhas clipando em pedais e o pretume da noite, por figuras bailando sobre duas rodas. O mais bonito do ciclismo não é o esporte em si, provavelmente o mais duro... Continuar Lendo →

Na intensidade do infinito

Das três atividades que se somam no triathlon, natação não é exatamente o meu favorito. Não tem balé em velocidade aérea do ciclismo, não tem a simplicidade crua da corrida, não tem a naturalidade dos esportes rodeados pelo ar limpo, livre, transparentemente leve. Mas isso não significa que ela seja tão desprovida de singularidades próprias,... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑