Mentorando mestres

Um dos pontos mais altos de se estar envolvido em esportes de endurance é que se acaba conhecendo e convivendo com pessoas que efetivamente desafiam os Deuses. Vivi isso intensamente no Unogwaja de 2018, inclusive, quando corri ao lado de potências como o André Costa, generosidades como David Tay, energias que desafiam o tempo como... Continuar Lendo →

A intimidade que provas garantem

Feliz com o Ohana Kahi, me vi em casa, inteiro e, essencialmente, sem nenhuma dor relevante. Aliás, para quem está habituado a ultras - por natureza mais extenuantes que triathlons - dá até uma certa culpa em terminar provas com condições plenas de caminhar sem parecer um zumbi nas suas últimas horas de pseudo-vida. Mas... Continuar Lendo →

70.3 solo, parte 2: Ciclismo

Alguns minutos se passaram até que o trânsito aliviou e eu pudesse encontrar uma brecha para iniciar a pedalada. O tempo, no entanto, continuou seu ritmo, deixando claro que era aquilo a diferença entre uma prova pessoal e uma prova organizada, com estradas fechadas e estruturas preparadas. Para mim, aquilo era irrelevante. Só o que... Continuar Lendo →

Começando dias melhores que os outros

Clack. Clack. Swoosh, swoosh, swoosh. Na penumbra que ainda persiste nas ruas da Cidade Universitária às 5 da manhã, o silêncio é quebrado apenas por sapatilhas clipando em pedais e o pretume da noite, por figuras bailando sobre duas rodas. O mais bonito do ciclismo não é o esporte em si, provavelmente o mais duro... Continuar Lendo →

Dentro de um vídeo-game

Chove tanto em São Paulo nesses últimos dias que cheguei a me perguntar se algum novo mar acabaria eventualmente se formando e alterando a geografia inteira do continente para nos presentear com uma praia no futuro próximo. Se é isso que vai acontecer eu não sei - mas sei que, até lá, sair para pedalar... Continuar Lendo →

Triday: a primeira prova de triathlon

Prova é prova. A distância pode ser a mesma que a de um treino, o percurso pode ser o mesmo, o clima até pode estar mais ameno - mas, por algum motivo qualquer, o coração palpita de uma maneira diferente. Principalmente nesse caso. Foi a minha primeira prova de triathlon, um olímpico incluindo 1.500m de... Continuar Lendo →

Na linha fina – de novo

Caminhar na corda bamba, aprendi, é o quarto esporte que compõe o triathlon. Balancear natação, pedal e corrida com trabalho e família, afinal, dá pouca margem para se lidar com imprevistos. Teimosos e birrentos, no entanto, imprevistos cismam em brotar aos montes... claro. E aí manuseamos os treinos. Acumulamos uns, esvaziamos outros, refazemos a planilha... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑