Aquela dor que não vai embora

Não só não vai, mas aparentemente decidiu entregar-se à histeria e começar a gritar insanamente pelos quatro cantos do corpo. A dor nas costas, aliás, está tamanha, que até respirar passou a ser uma tarefa que requer cautela. O treino de ontem à noite, naturalmente, foi cancelado: se não consigo andar direito sem grunhir, imagine... Continuar Lendo →

Recuperação ativa

Até acordei pensando em faltar o treino de bike ontem para me recuperar da dor na coxa... mas desisti de desistir.  Depois de algum descanso e de um diagnóstico que, se não tem a precisão científica de um médico, ao menos tem bastante lógica, a dor acabou se enfraquecendo. Não que ela tenha desaparecido, claro... Continuar Lendo →

Vastus medialis, és tu.

Eis a parte milimetricamente exata da musculatura que está dolorida: a vastus medialis.  Sua função: estender a perna. A dor explica-se perfeitamente: no sábado, eu desobedeci completamente o treinador e subi incontáveis vezes as ladeiras da USP - sempre pedalando de pé. Pedalar de pé não é igual a correr: requer uma força própria, muito... Continuar Lendo →

Dores de crescimento

O sábado foi aberto com 10km de corrida emendados em 52km de bike pela USP. Com chuva, com novas técnicas entrando musculatura adentro, com toda uma intimidade nova sendo adquirida com esse novo esporte. Quando comecei a correr, anos atrás, penei para fazer um corpo habituado a décadas de sedentarismo aprender que estava na hora... Continuar Lendo →

O primeiro ponto de corte

Já faz algum tempo que eu sigo, em meu Twitter, todo um universo de perfis relacionados a Comrades - de corredores a especialistas, de veículos de comunicação a veteranos. A ideia é simples: beber doses diárias da sabedoria dos que já completaram o percurso entre Pietermaritzburg e Durban, lendo suas dicas, experiências, casos de sucesso... Continuar Lendo →

Achando o meio termo

Às vezes, só o que a gente precisa é voltar à rotina. Fechei a semana passada cansado de viagem e com leves (porém preocupantes) pontadas no joelho e tornozelo direitos, em grande parte devido ao acúmulo de corridas em morros lá em Austin. Em tese, parar era algo que deveria ser considerado, ao menos por... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑