Na linha fina – de novo

Caminhar na corda bamba, aprendi, é o quarto esporte que compõe o triathlon. Balancear natação, pedal e corrida com trabalho e família, afinal, dá pouca margem para se lidar com imprevistos. Teimosos e birrentos, no entanto, imprevistos cismam em brotar aos montes... claro. E aí manuseamos os treinos. Acumulamos uns, esvaziamos outros, refazemos a planilha... Continuar Lendo →

Já no groove

A parte mais difícil do início de uma nova temporada ou de um novo ciclo é, sem a menor sombra de dúvidas, a descoberta de uma nova rotina. E mais: quanto mais intenso tiver sido o ciclo anterior - e, consequentemente, quanto mais cansado o corpo estiver - mais árido é esse retorno. Senti isso... Continuar Lendo →

Qualify na Maratona de Curitiba

Não vou dizer que larguei com sangue nos olhos e descanso nas pernas. Ao final de um ano tão intenso e apenas um mês depois de devastadores 75km na Bertioga-Maresias, o cansaço acumulado já circula tão livre pelas minhas veias que aprendi até a me acostumar com suas pequenas dores e pontadas fora de hora. ... Continuar Lendo →

Reencontrar o ritmo

A parte mais difícil de voltar aos treinos depois de terminar alguma prova grande qualquer, daquelas que demandam meses e meses de preparação, é justamente reencontrar o ritmo. O corpo, cansado de ficar cansado, lança seu peso sobre as pálpebras, as coxas e as origens ocultas da energia. As planilhas, ainda tímidas, parecem não entender... Continuar Lendo →

Tudo ao mesmo tempo

Não me lembro de nenhum outro ano que tenha começado tão acelerado quanto este. Não estou reclamando, claro: depois da recessão que tivemos, essa atividade toda é mais que bem vinda. Digo mais: conciliar a explosiva agenda de trabalho já neste mês de janeiro com a planilha recheada de treino está sendo até bom, como... Continuar Lendo →

Farnese

Esse nome é já conhecido por todos os Comradeiros. Não é por menos: com 6h24m12s, ele bateu o recorde sul americano na prova e terminou na 54a colocação. E por que estou falando dele aqui? Porque, recentemente, vi uma matéria sobre ele na Contra Relógio. Mesmo rápido como é, Farnese não faz sessões de tiro... Continuar Lendo →

Corrida silenciosa

Pshh, pshh, pshh, pshh. Em silêncio, os passos foram desenhando ritmo nas ruas. Pshh, pshh, pshh, pshh. Treino de hoje: uma hora em ritmo de maratona. Sem podcast, audiobooks ou música nos ouvidos. Sem pensar em rotas diferentes: escolhi o percurso normal, óbvio, aliviando a mente de qualquer tipo de escolha. Hoje foi só ritmo.... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑