Vale do fim de ano

Minha segunda passada já amanheceu denunciada pelo Whoop, que indicava uma recuperação corporal abaixo dos 30%. Não foi só pela maratona do domingo, claro: foi todo um conjunto da obra. O domingo, afinal, encerrou o ciclo de provas do ano - e o fez deliciosamente dentro da meta que eu buscava como qualify para a... Continuar Lendo →

A endorfina que acalmou o ano

Não têm sido dias fáceis, simples. Há meses que o cotidiano no trabalho se turbinou de tal maneira, abrindo tantas novas possibilidades quanto demandas por sinapses neurais, que tenho dificuldades de me lembrar de um só dia em que não tenha desligado o computador com a sensação de ter sido atropelado por um furacão. Não... Continuar Lendo →

Ironman 70.3 SP

Como foi nadar, pedalar e correr 113km por São Paulo? Não foi meu primeiro e nem meu mais longo triathlon, mas foi tão inesquecível quanto ambos. Por mais que goste de um espírito mais raiz, sem excessos organizacionais e com perfis de prova mais simples, a energia trazida pelo “M” vermelho do Ironman é de... Continuar Lendo →

A intimidade que provas garantem

Feliz com o Ohana Kahi, me vi em casa, inteiro e, essencialmente, sem nenhuma dor relevante. Aliás, para quem está habituado a ultras - por natureza mais extenuantes que triathlons - dá até uma certa culpa em terminar provas com condições plenas de caminhar sem parecer um zumbi nas suas últimas horas de pseudo-vida. Mas... Continuar Lendo →

Ohana Kahi 127.5: a prova perfeita

Como uma beleza apocalíptica e pura endorfina podem se fundir em uma única prova A garoa que durou a noite anterior inteira já deixava uma pista de como seria esse triathlon de distância peculiar (2.500m de natação, 105km de ciclismo e 25km de corrida) pelo litoral norte de São Paulo. Quando chegamos na praia do... Continuar Lendo →

Ohana Kahi 127.5, 28 de setembro

Triathlon é um esporte com perfil diferente da ultramaratona. E não falo aqui do óbvio de se somar à corrida outros dois esportes, claro. Falo do espírito. Em geral, o triatleta é hipercompetitivo por natureza, como se o maior inimigo de sua vida fosse o relógio. Nada de anormal para um esporte em que a... Continuar Lendo →

Encaixado

Segundas, quartas e sextas pela manhã, natação; às noites, corrida que transforma o esporte em modal de transporte. Terças e quintas de madrugada, ciclismo com eventuais treinos de transição. Sábados, longos de 4 ou 5 horas no pedal ou simulados que incluam nadar, pedalar, correr. Pode parecer muita coisa - e de fato é, a... Continuar Lendo →

70.3 solo, parte 3 (final): Corrida

Antes de dar os meus primeiros passos, imaginei que seria difícil correr a meia maratona com aquele cansaço todo. Quando dei os primeiros passos, sentindo aquele peso do início de corrida imediatamente depois de pedalar, tive absoluta certeza disso. Mas, depois de cinco, talvez 10 minutos... tudo mudou. Não sei ao certo como ou por... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑